Lingua   

Terra

Caetano Veloso
Lingua: Portoghese


Ti può interessare anche...

Um índio
(Caetano Veloso)
Haiti
(Caetano Veloso)
Caetano Veloso: A luz de Tieta
(GLI EXTRA DELLE CCG / AWS EXTRAS / LES EXTRAS DES CCG)


Muito / Dentro da Estrela Azulada (1978)

Prima di essere mandato in esilio a Londra, nel 1969, Caetano Veloso passò tre mesi in galera. È in questa occasione che scrisse "Terra" una canzone che sarebbe stata pubblicata solo anni dopo.

La Terra vista da uno degli "Applications Technology Satellites" della NASA nel novembre 1967
La Terra vista da uno degli "Applications Technology Satellites" della NASA nel novembre 1967


Mentre era nella sua cella, Veloso ebbe modo - non si sa come - di vedere le prime fotografie del nostro pianeta visto dallo spazio, e scrive una canzone di amore alla Terra, che per la prima volta si lascia vedere tutta intera, "anche se non completamente nuda ma coperta di nuvole".
Quando eu me encontrava preso, na cela de uma cadeia
Foi que eu vi pela primeira vez, as tais fotografias
Em que apareces inteira, porém lá não estava nua
E sim coberta de nuvens

Terra,terra,
Por mais distante o errante navegante

Quem jamais te esqueceria
Ninguém supõe a morena, dentro da estrela azulada
Na vertigem do cinema, mando um abraço pra ti
Pequenina como se eu fosse o saudoso poeta
E fosses a Paraíba

Terra,terra,
Por mais distânte o errante navegante

Quem jamais te esqueceria
Eu estou apaixonado, por uma menina terra
Signo de elemneto terra, do mar se diz terra à vista
Terra para o pé firmeza, terra para a mão carícia
Outros astros lhe são guia

Terra,terra,
Por mais distânte o errante navegante

Quem jamais te esqueceria
Eu sou um leão de fogo, sem ti me consumiria
A mim mesmo eternamente,e de nada valeria
Acontecer de eu ser gente e gente é outra alegria
Diferente das estrelas

Terra,terra,
Por mais distânte o errante navegante

Quem jamais te esqueceria
De onde nem tempo e nem espaço, que a força te de coragem
Pra gente te dar carinho, durante toda a viagem
Que realizas do nada,através do qual carregas
O nome da tua carne

Terra,terra,
Por mais distânte o errante navegante

Quem jamais te esqueceria
Na sacadas do sobrado, da eterna são salvador
Há lembranças de donzelas, do tempo do Imperador
Tudo, tudo na Bahia faz a gente querer bem

A Bahia tem um jeito
Terra,terra,
Por mais distante o errante navegante
Quem jamais te esqueceria

8/10/2018 - 21:59



Pagina principale CCG

Segnalate eventuali errori nei testi o nei commenti a antiwarsongs@gmail.com




hosted by inventati.org