Lingua   

Canto de esperança

Luís Cília


Lingua: Portoghese


Ti può interessare anche...

Hino do homem
(Fernando‎ Lopes-Graça)
Exílio
(Luís Cília)
Duas melodias
(Luís Cília)


[1973]
Album "Contra a ideia da violência a violência da ideia"
contra
Parole del poeta Mário Dionísio
Testo trovato sulla pagina ufficiale di Luís Cília
Dentro de ti e de mim
algo de novo estremece
a vida abre-se e ri
na hora que se entretece.

Vultos parados e sós
mudez da alma sozinha,
tomai o corpo e a voz
da vida que se adivinha.

Canta mais alto, avança e canta,
lança-te à marcha não te afastes.
Mistura a tua voz à voz que se levanta
das chaminés e dos guindastes.

Rasgam-se os céus e a terra,
a esperança cai e refaz-se
E o grito duma outra guerra,
canto do homem que nasce.

Tomam forma consistente
as ilusões encobertas.
Caminha, caminha em frente
Para as novas descobertas.

Canta mais alto, avança e canta,
lança-te à marcha não te afastes.
Mistura a tua voz à voz que se levanta
das chaminés e dos guindastes.

Molda em teus dedos leais
um destino à tua imagem.
Ao ódio dos vendavais
ergue uma viva barragem.

Da lama do tempo imundo
arranca a felicidade.
Homens humanos do mundo
Homens de boa vontade.

Canta mais alto, avança e canta,
lança-te à marcha não te afastes.
Mistura a tua voz à voz que se levanta
das chaminés e dos guindastes.

inviata da Alessandro - 10/11/2009 - 10:06


Questo "Canto de esperança" di ‎Mário Dionísio (1916-1993), ‎poeta e pittore portoghese, prima che da Cília fu messo in musica da Fernando Lopes-Graça nel disco “Canções Heróicas/ /Canções Regionais Portuguesas”‎, interpretato dal Coro da Academia de Amadores ‎de Música, con Olga Prats al pianoforte.‎

Canções Heróicas/ /Canções Regionais ‎Portuguesas

Faceva parte del disco originario intitolato ‎‎“Marchas, Danças e Canções” pubblicato da Lopes-Graça nel 1946 e subito fatto sparire dalla ‎PIDE, la polizia salazarista. Un ministro di Salazar ebbe a dire: “É mais perigoso um mi ‎bemol de Lopes Graça do que mil panfletos subversivos”.



Fernando Lopes-Graça fu arrestato per la prima volta dalla polizia della dittatura militare nel 1931, ‎poco prima della salita al potere di Salazar, mentre usciva dal Conservatorio dove si era appena ‎laureato a pieni voti. Da quel momento per il maestro Lopes-Graça fu un continuo entrare ed uscire ‎dalle prigioni salazariste e, nei rari momenti di libertà, componeva opere di protesta - come la raccolta di “Canções Heróicas” basata sui versi dei più grandi poeti portoghesi del tempo – ‎regolarmente censurate e che gli valevano sempre nuove condanne e nuove incarcerazioni.‎

Dead End - 7/12/2012 - 11:13



Pagina principale CCG

Segnalate eventuali errori nei testi o nei commenti a antiwarsongs@gmail.com




hosted by inventati.org