Lingua   

Assim cantamos

Luís Cília
Lingua: Portoghese



‎[1976]‎
Parole di Manuel Correia
Musica di Luís Cília
Dall’album “Memória”‎

Memoria Luis Cilia
Assim cantamos e escrevemos
nas cartas e nas paredes.‎
Porque nem vida nem sonhos
cabem nas malhas das redes
que o inimigo nos lança.‎
‎ ‎
Temos coisas na lembrança
que cantamos tantas vezes.‎
Ao ponto de ser mais branca
uma canção sobre os meses
que uma pomba em pleno voo.‎
‎ ‎
Velha canção que eu entoo
vinda não se sabe donde.‎
Até que um dia em seu voo
descubro um verso que esconde
raiva e amor misturados.‎
‎ ‎
Como se fossem recados
de um preso em sua prisão
ou dos gaiatos roubados
de sangue, sonhos e pão
sem alegria, cantando.‎
‎ ‎
Porque o canto anda contando
a quem tem sangue nas veias
como se destrói o mando
e se assaltam as ameias
de quem nos quer sitiar.‎
‎ ‎
E por ser dito a cantar
não é menos verdadeiro.‎
Andam pombas a voar
no coração guerrilheiro
que pela Paz, faz a guerra.‎
‎ ‎
Homem que nunca se enterra
nem no chão nem na lembrança
nem quando a arma se emperra‎
e a bala sai rosa-esperança
pelo cano do poema.‎

inviata da Bartleby - 24/2/2012 - 11:59



Pagina principale CCG

Segnalate eventuali errori nei testi o nei commenti a antiwarsongs@gmail.com




hosted by inventati.org