Lingua   

Farewell Angelina

Bob Dylan
Pagina della canzone con tutte le versioni


OriginaleVersione portoghese fornita da Guilherme Cobelo
FAREWELL ANGELINA

Farewell Angelina
The bells of the crown
Are being stolen by bandits
I must follow the sound
The triangle tingles
And the trumpet play slow
Farewell Angelina
The sky is on fire
And I must go.

There's no need for anger
There's no need for blame
There's nothing to prove
Ev'rything's still the same
Just a table standing empty
By the edge of the sea
Farewell Angelina
The sky is trembling
And I must leave.

The jacks and queens
Have forsaked the courtyard
Fifty-two gypsies
Now file past the guards
In the space where the deuce
And the ace once ran wild
Farewell Angelina
The sky is folding
I'll see you in a while.

See the cross-eyed pirates sitting
Perched in the sun
Shooting tin cans
With a sawed-off shotgun
And the neighbors they clap
And they cheer with each blast
Farewell Angelina
The sky's changing color
And I must leave fast.

King Kong, little elves
On the rooftoops they dance
Valentino-type tangos
While the make-up man's hands
Shut the eyes of the dead
Not to embarrass anyone
Farewell Angelina
The sky is embarrassed
And I must be gone.

The machine guns are roaring
The puppets heave rocks
The fiends nail time bombs
To the hands of the clocks
Call me any name you like
I will never deny it
Farewell Angelina
The sky is erupting
I must go where it's quiet.
ADEUS ANGELINA

Adeus Angelina
Preciso buscar
O badalo dos sinos
Que estão a roubar
O ritmo é lento
Esperar é pior
Adeus Angelina
O céu arde em chamas
Se eu for é melhor.

Não há mais desculpas
Nem porque falar
Não há novas disputas
Tudo está no lugar
Uma mesa vazia
Que já vai cair
Adeus Angelina
O céu tem cem cores
E eu vou partir.

Valetes e damas
Deixaram o hall
Quatorze ciganos
Com armas nas mãos
No espaço onde o dois
E o ás vão jogar
Adeus Angelina
O céu está fechando
E eu vou voltar.

Os piratas caolhos
Na beira do sol
Brincam com espingardas
Furando lençol
E a cada rajada
O riso é maior
Adeus Angelina
O céu convulsiona
Vou sem direção.

Kink Kong e os elfos
Estão a dançar
Velhos tangos nas telhas
Pro herói se limpar
Cerre os olhos da morte
Pra ninguém se afligir
Adeus Angelina
Do céu alagado
Preciso sair.

A arara em disfarce
Voa em arrepios
Quando algo de novo
Lhe acende o pavil
O que não terá cópia
Merece morrer
Adeus Angelina
As águas do globo
Não vão me reter.

Revólveres gritam
Fantoches com pás
Visões distorcidas
O tempo a parar
Qualquer nome é meu
Se quiser me chamar
Adeus Angelina
O céu já declina
Eu vou me acalmar.



Pagina della canzone con tutte le versioni

Pagina principale CCG


hosted by inventati.org