Lingua   

Êxodo

Teresa Salgueiro
Lingua: Portoghese


Ti può interessare anche...

A Batalha
(Teresa Salgueiro)
María Soliña
(Celso Emilio Ferreiro)


2016
Horizonte
Horizonte

Lyrics: Teresa Salgueiro
Music: Teresa Salgueiro | RuiLobato, Óscar Torres, Marlon Valente | Graciano Caldeira

Internazionale
Numero 1194
3/9 marzo 2017

Playlist Pier Andrea Canei
Resistenza esoplanetaria

Teresa Salgueiro
Êxodo
La cantante dei MadreDeus in zona di guerra, tra raffiche di mitra, esplosioni e colonne di profughi.
Un lamento lirico alla ricerca di orizzonti di pace. Uno dei momenti più forti nel suo ultimo lavoro, O horizonte, in cui, scortata da un accordeon e pochi altri strumenti, ripercorre il mondo desolato dei migranti. Ha la memoria del fado, ma senza richiami alla tradizione se non nell’uso del portoghese, così naturalmente venato di toni malinconici. Toni che Salgueiro non asseconda mai troppo, opponendo una resistenza fatta di una sottile energia.
Aromas e flores
Sons, constelações
Vitrais de mil cores
Pueris amores e canções
Texturas, sabores
Ruas, varandins
Poemas, louvores
Risos de crianças e jardins

Foi tudo o que para trás ficou
É tudo aquilo que eu perdi
Um tempo alegre que me abandonou
Hoje a lembrança é o que restou de mim

O enredo adensou e a terra tremeu
Estandartes da raiva e da mentira que nasceu

Assim me contava
De voz cambiante
O rosto vincado
A pele tisnada
O olhar errante

Tamanha tristeza
Na noite vazia
Crescente incerteza
De tão escura e lenta agonia

Pois o que para trás deixou
É uma lembrança que resiste
Um tempo alegre que o abandonou
A casa que não sabe se ainda existe
O enredo adensou e a terra tremeu
Estandartes da raiva e da loucura que surgiu
Pois tudo acabou, a ira cresceu
E lançou as trevas que amarraram o coração

Cruzei montes, cruzei vales
Caminhei por tempestades
Desconheço estas estrelas
Não sei guiar-me por elas

Vi distantes horizontes
Cruzei mares, cruzei pontes
Somos tantos no caminho
Sem abrigo, sem destino

Mas, regresso às emoções
De outrora
Que mantenho num lugar perfeito
Pois protegem a memória
Nunca mais se apartam do meu peito

Danças e cantares p'la noite fora
Tradições, herança que recordo
A alegria do encontro
Que ilumina as sombras desta hora

E assim semeio a coragem
Com que desafio o desespero
Na vertiginosa imagem
Com que afasto
O mal de que padeço

E com estas emoções de agora
Que conservo vivas no meu peito
Protetoras da memória
E assim lembradas num lugar perfeito

inviata da Dq82 - 4/3/2017 - 10:22



Pagina principale CCG

Segnalate eventuali errori nei testi o nei commenti a antiwarsongs@gmail.com




hosted by inventati.org